O inevitável problema de Pass Rush

Não é novidade para ninguém que Seattle sofre em pressionar o quarterback adversário faz alguns anos. Desde a saída de Bennet e Avrill, toda a carga foi jogada em cima dos ombros de Jarran Reed, que teve apenas uma boa temporada, e Frank Clark, que agora pertence ao Chiefs. Com o desmonte de uma linha defensiva, espera-se que as soluções venham junto e hoje analisarei alguns pontos que podem ser fatores corroborantes para a falta de eficiência desta unidade.

Seahawks.com

Clint Hurtt – Defensive Line Coach

É inegável que mesmo entre nós do Pro Seahawks Brasil, existe a negligencia em certos momentos de apontar Clint como um dos problemas desta unidade. Primeiro de tudo, por que ele é quem trabalha direto com as peças que compõem a linha defensiva e segundo, ele chegou em 2017, exatamente quando Seattle teve uma queda acentuada na unidade.

Clint tem um bom currículo tanto no College, quanto na NFL, mas a verdade, é que se limita ao bom, e aqui entre nós, o quanto a ineficiência dele pode ser mascarada por coordenadores defensivos?

A verdade, que a piora da unidade, a falta de talento, passa por alguém que é pago para treinar especificamente este grupo de jogadores. A gente sabe que LJ Collier foi um reach, mas o quanto Clint poderia ter dedicado tempo para trabalhar o que ele tinha de melhor, ao invés de simplesmente esperar 1 ano para começarmos a ver um singelo progresso?

Para mim, não há dúvidas que, se não for o problema, Clint faz parte dele.

Mandatory Credit: Joe Nicholson-USA TODAY Sports

Ken Norton Junior – Coordenador Defensivo

Norton fez um trabalho medíocre em Oakland e por algum motivo (amizade), Carroll achou que seria diferente pelos lados de Seattle, mas não é.

Ken Norton vive na sombra de uma defesa que se coloca no pedestal de uma das mais mortais de todos os tempos, vivendo na sombra também de Dan Quinn e Gus Bradley. Com uma defesa redonda e com 5 talentos que só aparece a cada 10/20 anos, Norton viveu apenas um relance de efetividade com um time que já sabia andar com as próprias pernas.

Uma defesa com Bennett, Avrill, Sherman, Wagner, Earl, Kam e KJ é automática, não precisa de um tagarela falando baboseira, eles só vão lá e executam, por que eles eram simplesmente incríveis.

Nesta nova passagem por Seattle, Norton se quer tem a capacidade de ser criativo nas chamadas defensivas, levando Seattle ao patamar de uma das piores defesas da história da liga em jardas cedidas.

Mesmo com um time que conta com Wagner, KJ, Dunbar, Diggs, Shaquill (vindo de um ano de pro bowl) e o implacável Jamal Adams, o time simplesmente não funciona em nenhum dos setores da defesa. Da trincheira ao fundo de campo, tudo tem sido um desastre.

A linha defensiva tem peças pontuais e ainda perdeu um bom jogador em Bruce Irvin. Benson Mayowa tem aparecido em momentos chaves, mas ainda é muito pouco. São apenas 9 sacks em 5 jogos, o que não é extremamente ruim, mas que não se torna parâmetro aqui. As porcentagens de pressão ao quarterback adversário são baixas e tudo leva a crer que, se o ataque não carregar, em algum momento a defesa desaba.

Na NFL, tudo é interligado. Sem pressão no quarterback, existe tempo o suficiente para os Wrs criarem separação nas rotas e exporem a secundária. Sem fechamento de gaps e colapso de pocket, a vida de qualquer RB fica ainda mais fácil. Um problema leva a outro e isso passa pelas mãos de uma comissão que é reconhecida por ostentar defesas sólidas.

 

Soluções

Apesar de ser engenheiro, ou quase lá, não costumo ser daqueles de obra pronta, que dá palpites ou diz que acertou depois que tudo está consolidado, mas para os que nos acompanham a um bom tempo, sabem que o PSB vem avisando sobre o problema de pass rush desde o inicio da temporada e que perdemos ótimas opções por esperar demais pelo Clowney. Mas ainda há algumas esperanças por aí.

USATSI

Ryan Kerrigan – DE, Washington Football Team

Washington procura uma reformulação não só na identidade da franquia, mas também no time. Rivera assumiu a franquia e aos poucos tem tentado moldar da melhor forma possível o time da capital americana. A franquia tem diversos nomes jovens e talentosos na posição de DE e o destoante disto é Ryan Kerrigan. Com 32 anos, mas muito eficiente, o jogador de Washington poderia ser um contribuidor de grande valia em Seattle.

Washington conta com Daron Payne, Montez Sweat, Jonathan Allen, Matt Ioannidis e o badalado Chase Young, fora outros jovens talentos para a rotação desta que, provavelmente em algum momento será a melhor DL da liga, e por muito.

Ioannidis atualmente está no IR, bem como Chase Young está voltando de lesão, mas para o time de Washington no atual momento, é pensar no Draft e talvez escolher a cara da franquia com a próxima classe de QBs que está por vir, ou mesmo sondar Darnold em Nova York. Para tal, a franquia precisará de capital de draft e Seattle pode dar um pequena ajuda em duas frentes. Primeiro aliviando o cap. Uma possível troca de Kerrigan para Seattle liberaria em torno de U$8M para a franquia de Rivera, os deixaria com um cap ainda maior para o próximo ano.

A outra parte seria o envolvimento de picks. Kerrigan tem 32 anos e está em seu último ano de contrato. Uma troca parecida com a de Diggs ou Dunbar, pode funcionar para ambos aqui, mas devido a necessidade de Seattle e sabendo disso, Washington com certeza pedirá mais. Apostaria que uma escolha de 4º round e mais uma de 6º no ano que vem, seria mais ou menos o preço justo e acessível que o mercado exigiria. É possível pensar no envolvimento de Hollister na troca para suprir essa escolha de 6ª rodada ou mesmo diminuir o valor de uma 4ª para 5ª, mas acredito ser improvável.

Kerrigan traria experiencia e o tão necessário pass rush que Seattle precisa, por um preço acessível e dentro do cap que a franquia tem no momento.

Getty Imagens

David Irving – DE, Free Agent

Irving viveu o mesmo problema de Josh Gordon. Por não poder se manter longe das drogas, foi suspenso pela NFL, que nesta semana o liberou para jogar. O jogador vinha tendo um bom desempenho antes da suspenção. Com 8 sacks, 12 QB hits, 26 Tackles, 11 tackles para perda de jardas e isso tudo em 10 jogos.

O nome é atrativo, mas no momento presente, enquanto escrevo este pequeno artigo, ele se encontra com os Raiders, aguardando o protocolo de Covid19. Ainda não há nenhuma afirmação de que ele assinará com o Raiders, mas Seattle precisa estar ao telefone com ele para poder oferecer uma real chance de SB.

*Nota de atualização – Segundo Aaron Wilson do Houston Chronicles, Irving fechou com o Raiders.

Sabemos que Pete Carroll consegue lidar bem com este tipo de jogador, então Irving seria uma adição. Diria até que, poderíamos tentar trazer ambos, Kerrygan e Irving.

Poucos são os nomes disponíveis. Pernell McPhee no Ravens, Shelby Harris no Broncos, todos dois com preços mais em conta, mas que causariam um impacto muito menor.

Nessa altura da temporada, com a semana de Bye finalizada e com a dead line em 2 semanas, Schneider deve está procurando soluções efetivas para o problema de pass rush. Podemos ficar atentos para uma troca ou contratação nos próximos dias ou nas próximas semanas, como tem sido costumeiro por tarte dele, mas se não ocorrer, as chances de ficarmos pelo caminho novamente são grandes.

Deixe uma resposta