Desabafo e Recap do DRAFT dos Seahawks

Acabou o Draft, SIM! Chegamos ao final de toda a espera e apreensão de saber quem são os novos jogadores dos Seahawks, tivemos 8 Escolhas no draft e pelo menos 1 em cada rodada, com 2 Trades UPs e 1 Trade Down.

O Draft de Seattle se resumido em uma palavra, diria que foi coeso. Coeso pois tínhamos a necessidade pass rusher e foi suprida, com 2 jogadores, um deles Darrell Taylor, de Tennessee, escolhido na 2ª rodada, quando Seattle Subiu entregando a 59ª e a 101ª, pela 48 dos Jets, um jogador muito atlético, rápido, um excelente bend e da pouquíssimo tempo ao quarterback adversário para parar e pensar, pois ele está pressionando já no final da 1ª leitura de campo. Muitos tackles para perca de jardas, muito bom no jogo aéreo e no terrestre como Alton Robinson.

Alton Robinson é pass rusher de Syracuse, ele foi escolhido na 5ª rodada, com uma escolha adquirida dos Panthers, em uma das trades, porem essa foi um Trade Down, entregamos a 64ª pela 67ª e 148. Robinson é um jogador bem atlético igual ao Taylor, porem com uma leitura melhor para o jogo terrestre, muito rápido e com um bom bend.

Pete Carroll e Scheneider se mostraram bem preocupado com o jogo terrestre, os jogadores de defesa escolhidos, são muito bons neste quesito, digo isso porque nossa escolha de 1ª rodada é um exímio tackleador, Jordyn Brooks, TOP 5 em 3 quesitos de tackles na NCAA em 2019, média em tackles por perca de jardas, tackles solo e tackles totais, todos eles por jogo, muito para um equipe que perdeu tantos tackles na temporada passada. Neste lado da bola achei interessante as escolhas, e no ataque, veio o que todos queriam, alvos confiáveis e proteção ao Wilson.

Damien Lewis, um guard campeão nacional, All American em 2019, uma barganha para uma 3 rodada, excelente bloqueando para passe e melhor ainda para as corridas. Wilson ligou para o jogador após ele ser escolhido no draft, perguntando se ele estava preparado, em resposta o jogador disse “Estou pronto para te fazer feliz”. Confesso que eu fiquei feliz com isso, mostra uma determinação raramente vista nos nossos jogadores, ainda mais que ele vai brigar por sua posição deste a semana 1.

Colby Parkinson, um Tight End de Stanford, um jogador de 2 metros de altura, muito atlético, ele é rápido para um jogador de sua altura, confiável para ser o alvo do Wilson, até por que apenas 1 drop na temporada passada, pode ser o “uma ama” na redzone, também similar ao outro tight end escolhido na 7ª rodada.

Stephen Sullivan, adquirido depois de uma troca de 6 rodada de 2021 pela 7 deste ano, registrado como wide receiver, mas foi um tight end em LSU, e segue sendo as mesmas qualidades do Parkinson a ele, rápido, alto e confiável na redzone.

A mudança vem aqui, 2 jogadores que podem fazer a diferença no time de especialistas, o primeiro é o DeeJay Dallas, um running back em constante evolução, com traços perfeitos para ser titular, vai trazer uma ótima briga para ser o primeiro reserva esta temporada, o ex-parceiro do Travis Homer em Miami, é forte, não foge dos tackles e sempre ganhas aquelas 2 ou 3 jardas no contato. Alem de ser muito bom nos retornos de Punts e Kickoffs, poderia enfim tirar o Lockett dos retornos, não é viável que seu WR1 seja também o retornador principal, o risco de lesão é muito maior.

Fraddie Swain, outro bom jogador para o time de especialistas, também retornador nos Gators, mais um excelente motivo para sua escolha e retirar o Lockett dos retornos. Swain é muito rápido suas rotas verticais chegam ser um absurdo, sua mudança de direção também. Arrisco a dizer, guardadas as devidas proporções, lembrei do Lockett, Kansas State e no inicio em Seattle.

O draft foi muito coeso, arrisco a dizer que tudo que disse aqui, sim, pode acontecer. Eu digo e afirmo 90% dos torcedores veem a escolha por cima, pois leem no primeiro portal em português, quando dizem que o “Brooks foi a pior escolha” ou “que ele é ruim”. Pete Carrol é um lixo pior draft dos últimos anos, Não é bem assim, Seattle pensou muito na secundaria contra o jogo aéreo, pois trouxe o Dunbar, 2ª cornerback pela PFF, pensou nos alvos da redzone, e pensou quando viu os 49ers tendo um jogo terrestre forte, os cardinals com Kenyan Drake fazendo o que queria na nossa defesa e também tendo um quarteback bem móvel, sabendo que o Goff precisa de ajuda no jogo terrestre, pois quando está em 2ª ou 3ª descidas longas ele tem dificuldades e replico isso ao falar do Garoppolo.

E para fechar nosso calendário este ano tem muitos times que precisam do apoio do jogo terrestre, pois tem quaterbacks que não se dão bem em descidas longas, como Giants, Jets, Patriots, Dolphins(QB Novato), Eagles e Redskins e fora os times da nossa divisão.

Tenham paciência, pois Seattle sempre foi assim e sempre será #GoHawks

2 Replies to “Desabafo e Recap do DRAFT dos Seahawks”

  1. Bom discordo em grande parte do que vc disse a críticas ao Carrol seus drafts sim são péssimos de 4 anos para cá não se aproveita quase nenhum jogador das duas primeiras rodadas do draft e onde ele deveria suprir suas cagadas do draft com seus treinamentos assim como BB faz vem pecando, sobre a parte de preocupar com o jogo corrido será que é tão necessário do que o lado aéreo tenho dúvidas mas veremos no decorrer da temporada no momento somos a terceira ou quarta força da divisão e quem sabe uma temporada fora dos playoffs não faça mudanças radicais que acho necessárias na comissão técnica abs.

  2. Raphael Oliveira says: Responder

    Mas por que focar tanto no aéreo se esta temporada, nosso adversarios são fortes no jogo terrestre?
    Por que escolher outro jogador para o jogo aéreo se temos o Dunbar e o Griffen com titulares, Flowers e o Linden Stephens como reserva, Amadi como Nickel e o Diggs como safety.?
    O Draft é feito pela avaliação do calendário da temporada seguinte e dos maiores defeitos, nossos defeitos aéreos foram cobertos na FA.

Deixe uma resposta