Como a experiência de Greg Olsen pode contribuir para o ataque de Seattle

Seattle fechou com o TE Greg Olsen por um ano com um salário de 7M sendo 5,5M garantidos, valor alto para um jogador de 34 anos que tem um histórico de lesões recentes, mas a pergunta é: “por que um contrato alto para um jogador que não vale tudo isso?” e a resposta pode ser a experiência que este jogador carrega.

View this post on Instagram

Pen to paper. 🤩 Welcome, @gregolsen88!

A post shared by Seattle Seahawks (@seahawks) on

Draftado em 2007 como uma escolha no fim do primeiro round pelos Chicago Bears, jogou no time até o ano de 2010, chegando ao fim de seu contrato de calouro. Após se destacar, foi trocado para o Carolina Panthers por uma escolha de terceira rodada, time onde fez história e construiu sua carreira como um dos grandes TE da história do time, sendo indicado 3x ao Probowl e 2x All-Pro, além chegar ao SuperBowl em 2015 no qual foi derrotado pelo Denver Broncos. Em sua carreira o jogador conta com 8,444 jardas e 59 touchdowns em 186 partidas.

O que põe em dúvida sua contratação é seu histórico recente de lesões no pé direito, onde teve que fazer uma cirurgia para concertar a fratura e logo após sua volta a lesão se agravou novamente nas últimas três temporadas o jogador esteve em campo em apenas 30 jogos, mas o que demostra parecer que o mesmo esteja saudável é que na última temporada ele jogou 14 jogos, porém sua produção diminuiu muito principalmente no número de jardas que foram 597, entretanto deve se levar em consideração que os Panthers jogaram a temporada inteira com seu QB reserva, Kyle Allen.

Como TE Olsen se destaca como um bom corredor de rotas sendo muito inteligente para mudá-las quando percebe que está bem marcado, bom recebedor com destaque em recepções de média distância com uma média de jardas por recepção de 11.8. Um ponto negativo é quanto bloqueios que não é o forte do jogador.

Mas a pergunta é “Como Greg Olsen pode contribuir para o ataque de Seattle?” um ponto que deve ser analisado é sua liderança e experiência em campo, pois se formos analisar nossos jogadores de ataque excluindo-se a linha ofensiva, a maioria são jovens talentos e como Russell Wilsson ainda está aprimorando este quesito, Greg poderia auxiliá-lo a se tornar um líder que nós tanto desejamos. Olsen se destacou nos Panthers como um dos líderes da equipe e no SuperBowl em 2015 quando Cam Newton estava aparentemente abatido ele que se encarregou de cobrar e motivar o time apesar da derrota. Na última temporada foi notável que precisamos de mais experiência no time, é tanto que quando nosso corpo de Running Backs estava praticamente todo machucado Pete Caroll recorreu a Marshawn Lynch que apesar de já ser conhecido do time pesou muito sua experiência para que ele fosse o escolhido para voltar já que haviam outros nomes no mercado.

Greg Olsen chega para complementar nosso quadro de Tight ends e dar certa segurança, já que Dislly sofre constantemente com lesões. Se ambos ficarem saudáveis temos tudo para ter um dos melhores corpos de TE da liga que agora passa a contar com: Greg Olsen, Will Dislly e Jacob Hollister.

2 Replies to “Como a experiência de Greg Olsen pode contribuir para o ataque de Seattle”

  1. Que a experiência dele contribua para o time. Excelente análise!

Deixe uma resposta