Não foi bonito, mas estamos 1-0 – Pós-jogo Semana 1

Depois de nove meses sem Seattle Seahawks para valer, a equipe da Emerald City voltou a campo neste último domingo pela abertura da 100ª temporada da NFL e conseguiu sua primeira vitória do ano. Frente a um Cincinnati Bengals em plena reconstrução, com técnico novo, pouca projeção e seu melhor jogador, o WR AJ Green, lesionado, a expectativa era de que os mandantes dominassem a partida com certa tranquilidade; mas não foi bem isso que aconteceu. Triunfo apertado por 21 a 20, deixando mais forte a sensação de problema evitado do que propriamente de dever cumprido.

Mesmo com problemas, uma vitória é sempre uma vitória, ainda mais levando em conta que os Seahawks começaram 0-2 na temporada passada, e antes disso, em 2016 e 2017, também tiveram dificuldades para bater os então fracos times de Miami e San Francisco nas estreias dentro de casa. Com 1-0 na tabela, Pete Carroll e companhia podem respirar um pouco mais aliviados e buscar os ajustes para o próximo confronto, frente ao Pittsburgh Steelers, fora de casa.

Com poucas mudanças entre os titulares da temporada passada, como DK Metcalf no corpo de recebedores e Jadeveon Clowney no pass rush, a equipe teve uma mistura de boas notícias, problemas que já pareciam ter sido resolvidos, mas que aparentemente não foram, e as mesmas deficiências de sempre.

(Foto: Reprodução/Seattle Seahawks)

Como é começo de temporada e a saudade era grande, vamos começar pelos pontos positivos. Após se recuperar em cerca de duas semanas de uma pequena cirurgia no joelho, Metcalf fez uma estreia impactante pelos Seahawks. O rookie foi o principal alvo de Wilson entre os WR’s, com quatro recepções em seis tentativas para 89 jardas. A marca foi a melhor da história de um recebedor novato em sua estreia pela franquia.

A outra grande estreia da tarde também encheu os olhos da torcida no CenturyLink Field. Recém-chegado, o DE Clowney já disputou 48 dos 77 snaps da defesa, somando dois tackles, um sack e um QB hit. Além do defensor, a linha defensiva inteira teve boa participação, levando em conta que o DE Ziggy Ansah, se recuperando de lesão, e o DT Jarran Reed, suspenso, não jogaram. Ao todo, a unidade somou cinco sacks.

Além dos estreantes, destaque para as atuações do DE Quinton Jefferson com seis tackles e dois sacks, e do CB Saquill Griffin, que começou 2019 fazendo uma boa cobertura pelo lado esquerdo da defesa de Seattle, após altos e baixos em 2018. O WR Tyler Lockett teve um jogo discreto mas foi responsável pela principal big play da equipe no jogo, uma recepção em profundidade para touchdown de 44 jardas.

Voltando de duas das suas melhores temporadas na carreira, o QB Russell Wilson teve um jogo eficiente apesar da dificuldade imposta pelo front 7 de Cincinnati. O camisa 3 terminou com 70% de acerto nos passes, para 196 jardas, dois touchdowns e um rating de 134,6. Os números também apontam para quatro sacks do quarterback, que foi pressionado em 45,8% dos dropbacks, segundo a PFF.

É aí que as coisas se complicam. Se por um lado as estreias animaram os 12’s, alguns problemas antigos parecem ter retornado. Primeiro, a linha ofensiva, que ainda não contou com o G Mike Iupati na maioria dos snaps, sofreu muito durante o jogo. Após ter tido melhora significativa na última temporada, a unidade comandada por Mike Solari voltou a parecer a mesma dos últimos anos de Tom Cable.

Segundo, o playbook do coordenador ofensivo Brian Schottenheimer se mostrou mais uma vez pouco criativo. Sem conseguir correr de forma eficiente, as chamadas de passe não tiveram nenhuma novidade, concentrando quase todas as bolas para o lado esquerdo de Wilson, e mais uma vez explorando pouco as rotas curtas e médias.

Finalmente, a defesa sofreu muito justamente com o que Seattle não fez no ataque. Jogando com três recebedores contra uma defesa de Seattle predominantemente no 4-3, os WR’s tiveram bastante espaço para trabalhar rotas curtas e médias entre a linha defensiva e os linebackers. Contando com um dia inspirado de Andy Dalton, que passou para 418 jardas, o recorde de sua carreira, a equipe sofreu mais do que o esperado, com destaque para 158 jardas e dois touchdowns anotados pelo WR John Ross, e grande ajuda do FS Tedric Thompson, que fez provavelmente seu pior jogo com a camisa de Seattle.

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=n5F-rnOn2Tc]

No fim das contas, a equipe fez o suficiente para evitar a derrota e manter a invencibilidade de Pete Carroll em estreias no CLink. Os Seahawks voltam a enfrentar um time da AFC Norte no próximo domingo, o Pittsburgh Steelers, que sofreu dura derrota no primeiro SNF do ano. Estamos 1-0!

Deixe uma resposta